A organização do espaço econômico brasileiro



1.1-       A herança colonial – o arquipélago econômico

            Mesmo o Brasil estando entre os países emergentes, o país apresenta enormes características de desigualdade social dependência financeira e tecnológica devida sua ocupação e organização econômica.       O Brasil encontrasse como pais soberanos devidos sua participação como periferia do capitalismo, permanecendo como produtor e fornecedor de matérias primas agrícolas.  
O país só se industrializou após a 2º Guerra Mundial, os indicadores sociais, tecnológico e outras dependências que o mantém como país subdesenvolvido.   E devido a sua colonização a traços de sua ocupação até os dias atuais.    Devido ao modo de exploração e ocupação do território brasileiro proporcionou o primeiro modo de organização econômica nos cultivos de cana de açúcar e mineração.
Os cultivos de cana de açúcar ocorriam na zona da mata, 
principalmente em Pernambuco e na Bahia, caracterizando se por plantação adaptada ao clima litorâneo e ao solo argiloso e fértil, cultivando um único produto voltado para a exportação, utilizando mão de obra escrava nos grandes latifúndios, a cana de açúcar era de boa aceitação no mercado europeu.
A mineração foi outra atividade importante ocorrido entre 1740 e 1750 na capitania de minas gerais. Esta atividade apresentou varias características como o aumento da população colonial com a imigração, deslocamento do eixo econômico da colônia de Salvador para Minas Gerais, desenvolvimento de atividades dependentes da mineração e a sociedade era basicamente urbana.
O arquipélago econômico no século 18 era voltado para o mercado esterno, como cana de açúcar; mineração; indústria de tabaco; produção de algodão e a pecuária. O meio de transporte foi importante para a organização do espaço econômico tanto em estradas como em portos para escoamento da produção.

1.2 - O Brasil independente e o café

No século XIX, uma nova riqueza passou a comandar a economia brasileira- o café.
A atividade cafeeira alterou profundamente a economia e a  sociedades brasileiras.
Entre 1881 e 1890, o café representou mais de 60% das receitas de nossas exportações.
            A mão de obra escrava foi substituída pela mão de obra assalariada imigrante europeia.
            Apesar da independência política, a economia continuava organizada em “arquipélagos” e voltada para  a merca externa. Os produtores secundários continuaram exigindo e fazendo parte da economia, bem como as lavouras de subsistência.

1.3-       A industrialização e a integração nacional

No século 20 as fronteiras já se estabeleciam como são hoje, mas a organização interna procedera a mudanças durante os anos. Até 1930 as principais atividades econômicas eram canavieira, mineradora e cafeeira destinadas ao mercado externo. Com a consolidação da indústria em 1950 ouve a integração territorial e expansão de instalações de rodovias que ligavam as regiões. A organização espacial em função da indústria dividiu o país em grandes complexos regionais, são eles: Amazônia, nordeste e cetro sul.
A Amazônia compreende 58% do território brasileiro abrangendo grande parte do mato grosso e do Maranhão. Esse complexo apresenta características de clima equatorial, terras baixas, floresta e bacia amazônica. Apresenta também baixa densidade demográfica, economia baseada no extrativismo vegetal e nos dia atuais expansão agropecuária e de povoamento.
O nordeste ocupa 18% do território brasileiro compreendendo ocorre de minas gerais e não incluindo o oeste do Maranhão, o nordeste pode ser dividido em sub-regiões: meio norte, sertão, agreste e zona da mata. O nordeste apresenta também vários conflitos sociais e econômicos. O centro Sul corresponde ao sudeste, Sul e centro oeste, sendo este o complexo mais importante e o centro econômico da nação.    

1.3.1- Os quatro brasis 

             No século 21 ouve grande avanço nas áreas de telecomunicação promovendo maior ligação entre as regiões do país. O geógrafo Milton Santos e a professora Maria Laura dividiram o país em quatro regiões, levando por principio o meio técnico - cientifico - informacional que estão de maneira desigual e diferente no território brasileiro. Essas regiões são: amazônica - baixa densidade técnica e demográfica.
             Nordeste - agricultura com pouca mecanização.
..............................................
             Centro oeste- apresenta agricultura moderna mecanizada e produtiva.
..........
             Consentida - apresenta maior população, maiores indústrias e tecnologias, ou seja, reúne os principais meios técnicos científicos e as finanças do país.


2-    O processo de industrialização no Brasil


O Brasil é um país subdesenvolvido mais para que isso ocorresse passou por uma trajetória, ela começo na Inglaterra onde se chamava revolução industrial e que no Brasil passou se chamar indústria. As atividades sofriam muitas restrições por Portugal mais com a chegada da família real começou implantar a primeira indústria após a independência política, mais só após a década se tornou revolução industrial.
Antes da revolução industrial tardia teve doas fases período colonial, foi um acordo das colônias com os portugueses para que as colônias não tivesse estabelecimento comercial para disputar e reduzir o lucro dos portugueses, onde as atividades permitidas eram a produção de açúcar, de tecidos grosseiros e outros, como olaria, forjas e etc.
Com isso ouve um desenvolvimento dessas atividades e a metrópole foi apreendida que e tomo uma providencia. Proibiu o oficio de ourives em 1766, cortou todas as manufaturas têxteis usadas pelos escravos. Com isso ouve abertura dos postos que os produtos tinham baixa tarifa teve também a revogação do alvará para que pudessem importar a matéria prima. A independência política o Brasil adotou um aumento na taxa de imposto de 16% mas não deu certo por a tarifa ser muito baixa e teve a lei Alves Branco que aumentou a taxa para 20%.
Com isso a produção de algodão a vinha interna de matéria prima a vinda de imigrante e aumento de mão de obra e expansão de mercado de consumo.
A dois grupos da revolução industriais a revolução de trinta e a do crime 1929 onde a trinta era representada pelo político de São Paulo e Minas Gerais e o crime que baseava na economia do Brasil com o café.
A internacionalização empresas de empresas fundamental, pois vieram empresas estrangeiras para o Brasil implantaram rodovias que facilitou e muito para essas empresas estrangeiras.
Milagre econômico no Brasil ocorreu em 1967 e 1973 quando o Brasil foi o oitavo colocado em maior PIB do mundo e o primeiro do ranque nas nações subdesenvolvida com indústrias ou periferias.
O setor industrial brasileiro esta diminuindo o seu PIB e de pessoas esta aumentando isso é um fato da globalização econômico que os setores indústrias tão tendo muitas inovações tecnológicas geram maior produtividade com menos numero de trabalhadores assim começa a falta de emprego.


3-   .


4-    A localização espacial da indústria no Brasil – a dispersão industrial

Desde o final de da década de 1990, nove a expansão da atividade industrial para as áreas do nordeste e norte.

4.1- Dispersão industrial

No final de 1980 a dispersão industrial no Brasil ocorreu em duas escala, a nacional e a internacional. A primeira tinha com intuito instalar polos industriais nas regiões norte e nordeste. Na segunda a dispersão das indústrias para as cidades pequenas, com intuito de fugir dos altos preços, poluição e congestionamento, buscando nas cidades pequenas melhor estruma de transporte, qualidade de vida, mão de obra barata e mercado consumidor. As cidades pequenas disputam para receber essas indústrias, e as regiões que se beneficiaram foram a região norte, nordeste e centro oeste.

4.2- Região Norte

Tem apresentado um crescimento maior que as outras regiões devido ao incentivo fiscal aos empresários, as primeiras indústrias a serem implantadas no nordeste foram concebidas pelo plano de desenvolvimento de JK. Nesta região optouse em implantar indústria e importação, com isso ouve investimentos para construção de rodovias, ferrovias e de portos. A guerra fiscal e o baixo preço contribuíram para a implantação dessas indústrias, outras opções implantadas pelo nordeste foram às fontes alternativas de energia como a eólica.

4.2.1- Bahia

        O primeiro polo ou complexo industrial do nordeste situa-se em Aratu, criado pela SUDENE, e com a descoberta do petróleo trouxe uma importante industria para a região, a Landulpho Alves, pertencente a Petrobras, começando a funcionar a partir de 1950. Foi implantado, também outros polos petroquímicos, como a de Camaçari, além da exploração de petróleo, havia também a exploração da área automobilística, além de industrias de cerveja, caixas de papelão, de pneus e distribuição elétrica.

      4.2.2- Pernambuco

         As indústrias se encontram na área metropolitana, sendo elas alimentícias de material elétrico, de comunicações, metalúrgicas e de bens de consumo duráveis e em geral. Outros projetos estão previstos para a implantação de polo têxtil e polo petroquímico e construção de navios de grande porte.
 

       4.2.3- Ceará

          O Ceará apresenta um forte crescimento nos setores de calçados e têxteis, atraindo muitas indústrias, devido suas vantagens na guerra fiscal, com capacidade de produção para o mercado interno e externo. Na metalúrgica, as produções de jipes de estrada ganham grande destaque.

        4.2.4- Outros estados

           No Sergipe, encontrasse a fabrica de fertilizantes nitrogenados, localizado em Laranjeiras, em Lagoas, destacasse a produção de soda caustica, utilizando matéria prima encontradas na superfície do solo e mistura de outros sais, na Paraíba, destacasse a maior unidade fabril de produção das famosas havaianas, em Rio Grande Do Norte, encontrasse os principais centros salineiros, construídos para embarcar o sal destinado para o mercado interno, no meio norte a o destaque do consorcio de alumínio e exportação ded minérios, extraídos da região norte.


      4.3- Região Norte

            A zona franca atrai empresas por não terem que pagar taxas de importação de componentes para a montagem de seus produtos e pela inserção de impostos. As distâncias dos grandes centros provocam indústrias desarticuladas da economia regional. A base da zona franca de Manaus destacasse em eletrônicos, de relógios, de motocicletas, de canetas, de brinquedos, óptico, metalúrgico e químico.
 


        4.4- Região Centro Oeste


Apresenta elevados crescimentos nos setores agroindústrias, como o de produção de alimentos e atualmente tem atraído indústrias farmacêuticas, de transportes, de material elétrico, moradora de veículos e entre outras. No centro oeste os estados apresentam diversificadas formas de produção podendo ser medicamentos, bebidas, montadoras de automóveis, produção de fertilizantes, borrachas plásticas, montadora de maquinas agrícola, investimentos, apresentando também variado nível de industrialização.

3 comentários:

Obrigada pelo seu comentário, espero te-lo ajudado!
Abraço, Roselaine Mezz