Fungos

Introdução 

Neste trabalho irei apresentar alguns benefícios e malefícios de protozoários e fungos. Normalmente estes são usados em fabricações de muitos materiais hoje utilizados em pesquisas e em indústrias. O reino fungico se destaca por sua grande diversidade de trabalho  e sua diversidade de doenças que são não apresentam tanta preocupação para o ser humano, pois tem um tratamento fácil sem trazer muitos males ao homem. O reino protozoa se destaca por sua imensidão, pois é dele que é formado as algas que são a base para a provável recuperação de nosso planeta. Assim irei apresentar características destes dois que reinos que podem vir ajudar ou destruir o ser humano.

A importância dos fungos

Os fungos desempenham importantíssimo papel na Natureza: são eles que, juntamente com as bactérias do solo, fazem a decomposição de cadáveres de animais e de plantas. Nesse papel de decompositores da cadeia alimentar, eles permitem a reciclagem dos elementos químicos que constituem a matéria orgânica. Se não fosse assim, os elementos se esgotariam para os seres vivos.
Os fungos são antigos aliados da humanidade, utilizados na fermentação do pão e na produção de bebidas alcoólicas. Além disso eles emprestam um sabor característico ao queijos tipo roquefort, camembert, gorgonzola e muitos outros, sem falar na utilização de fungos diretamente na alimentação, como é o caso dos famosos champignons.
Os fungos têm importância médica pois podem causar doenças no homem, nos vegetais e nos animais. As doenças causadas por fungos recebem o nome de micoses.
As principais micoses humanas são: o sapinho, a frieira e as micoses de pele. Nos vegetais os fungos podem causar doenças como: as "ferrugens, e os "carvões".
Ainda temos os fungos do gênero Penicillium, que são empregados na fabricação de antibióticos naturais.
Por que cresce a massa do pão?
O fermento biológico é um tipo de fungo utilizado desde a Antigüidade na produção de pães e bebidas alcoólicas. Somente com o uso do microscópio verificou-se que o fermento é constituído de seres vivos, unicelulares que se produzem por esporos e brotamento.
O fermento colocado na massa do pão alimenta-se dela e produz gás carbônico. Com a formação de bolhas de gás carbônico no interior da massa, esta aumenta de volume e se torna porosa, originando um pão macio.
A técnica de produção de bebidas alcoólicas é semelhante. O fungo presente no caldo da cana, no suco da uva ou em outro líquido açucarado utiliza o açúcar como alimento e realiza sua fermentação. Nesse processo são liberados gás carbônico e álcool. Assim, do suco de uva produz-se vinho e do caldo de cana produz-se cachaça.
DOENÇAS CAUSADAS POR FUNGOS 

Os microfungos ou cogumelos microcópicos podem causar no homem doenças denominadas micoses, do mais variados tipos. O termo micose foi empregado pela primeira vez por Virchow, em 1856. Ocupam as micoses lugar de destaque na patologia tropical. No Brasil há estudos e trabalhos importantes sobre o assunto, e que interessam a vários ramos da Medicina. 
Os cogumelos microscópicos de interesse clínico pertencem, na maioria, à classe dos chamados fungos imperfeitos. 
Actinomicose. Micose produzida pelo Actinomyces bovis. As lesões actinomicóticas se instalam em setores os mais diversos do organismo. Descrevem-se as seguintes formas anatomoclínicas: (1) cérvico-facial, com lesões também na língua, bochechas e encéfalo. Representa mais de 50( dos casos, surgindo após extrações dentárias, fratura de maxilar e outras lesões traumáticas da fase. O parasito, que vive na bocacomo saprófito, sem causar doença, pode invadir outros tecidos: seios faciais, glândulas salivares, órbita, pescoço e mediatismo. (2) Abidominal, com início no apêndice, gerando sintomas de apendicite aguda ou subaguda. Daí, o fungo pode invadir outras estruturas: cólon, ovários, trompas, fígado, etc. Acomete 20 a 30( dos casos, produzindo elevada mortalidade. (3) Torácica, encontrada em cerca de 15( dos casos, acometendo pulmões, geralmente a porção inferior, pleura e parede do tórax, onde forma fítulas. Não é fácil o isolamento do Actinomyces bovis do pus de fítulas, abscessos e tecidos, em virtude do crescimento de bactérias. Tratamento: (1) penicilina, de preferência; (2) sulfonamidas, para os casos que não se beneficiam com a penicilina; (3) iodeto de potássio; (4) remoção cirúrgica do pus e dos tecidos mortos; (5) repouso e boa alimentação. 
Nocardiose. Micose do tipo crônico, produzida por Nocardia asteroides, fungo muito comumno solo e de fácil crescimento nos meios usuais de laboratório. Encontra-se no pus ou nos tecidos orgânicos. As manifestações clínicas da nocardiose se assemelham, por vezes, às da actinomicose, mas aquela afeta com maior freqüência os pulmões e os pés. Nos pulmões causa broncopneumonia tipo caseoso (aspectro de queijo), podendo mesmo confundir-se com a tuberculose. Forma abscessos em vários pontos do corpo, inclusive no cérebro. No tratamento, as drogas preferenciais são as sulfonamidas. 
Geotricose. Micose causada por uma ou mais espécies do gênero Geotrichum e produz lesões na boca, semelhantes às do sapinho, no intestino, nos brônquios e pulmões. Trata-se com violeta de genciana. As formas pulmonares e brônquicas se beneficiam com o ideto de potássio e vacina autógena. 
Coccidioidocose. Micose causada pelo Coccidioides immitis. Apresenta-se sob duas formas clínicas: (1) primária, aguda, benigna, de bom prognóstico: os sintomas são os de uma infecção respiratória banal: (2) progressiva, disseminada, grave, de elvada mortalidade: os sintomas variam com os órgãos acometdos (pulmões, ossos, pele). 
Tratamento: a coccidioidomiseprimária cura-se em algumas semanas, sem qualquer tratamento específico: a forma progressiva é muito difícil de tratar, embora novas esparanças tenham surgido com o aparecimento recente do amphotericin, droga fungicida. 
Criptococosee (torulose). Esta doença acomete qualquer parte do organismo, com acentuada preferência pelo cérebro e pelas meninges. É provocada pelo Cryptococcus neoformans ( Torula histolytica). A mortalidade é elevada. O tratamento com o amphotericin tem produzido bons resultados, quando aplicado nas fases iniciais da doença. 
Candidíase (moni;íase, sapinho). Doença provocada pela Candida albicans ( antiga Monilia albicans). Este fungo é habitante de estruturas normais, como a boca, o intestino e a vagina. Não se encontra normalmente na pele, salvo se nesta houver alguma doença concomitante. Pode ser identificado também no escarro de pessoas com doença pulmonar e brônquica não micótica. A candidíase se manifesta por lesões das seguintes partes do organismo: (1) mocosa da boca (sapinho) e da vagina; (2) pele, sobretudo quando trabalhada constantemente pela umidade; (3) unhas, cujo leito se torn tumefeito e doloroso (oniquia), podendo chegar ao panarício; (4) brônquios; (5) pulmões. 
Tratamento: as formas brônqicas e pulmonares devem ser tratadas com iodeto de potássio; a forma generalizada resiste aos tratamentos habituais, mas o amphotericin deve ser tentado, uma vez que in vitro a Candida é sensível a esse fungicida. 
Esporotricose. Micose cronica causada pelo Sporotrichum schenki, e espalhada pelo mundo todo, especialmente entre homens de campo, horticultores e operários. Este fungo penetra no corpo através de ferimentos da pele das extremidades e pelo tubo gastrintestinal. A lesão cutânea inicial é característica: nódulo subcutâneo de cosistência elática, forma esférica, móvel, não aderente; depois adere à pele, que se torna avermelhada e, a seguir, preta, por causa da necrose, ou morte do tecido. 
Medicamento de escolha: iodeto de potássio em doses crescentes. 
Maduromicose (pé-de-madura, micetoma). É infecção crônica, rara, que afeta pricipalmente o pé, sem comprometer o estado geral. Caracteriza-se por abscessos múltiplos, físturas e formação de grãos diferentes dos da actinomicose. A infecção foi identificada pela primeira vez por Gill, em 1842, na cidade de Madura, na Índia. A maduromicose pode ser causada por fungos de diversos gêneros e espécies. No Brasil, o Monosporium apiospermum e os cogumelos dos gêneros Cephalosporium e Madurella são os mais encontradições em casos de maduromicose. Tratamento: sulfonamidas, iodeto de potássio, debridamente de fístulas e antibióticos para sustar a infecção piogênica secundária. 
Rinosporidiose. Infecção de natureza fúngica, produzida pelo Rhinosporidium seeberi, caracterizada pela formação de pólidos pedunculados ou sésseis no nariz e nas conjuntivas. O primeiro caso brasileiro de rinosporidiose foi registrado por Montenegro em São Paulo. 
Tratamento: extirpação cirúrgica com auxílio do bisturi elétrico, administração de antimonial pentavalente e tratamento local com tartarato de potássio e antimônio a 5%, ou tártaro emético a 2%. 
Aspergilose. doença causada por um microfungo, do gênero Aspergillus, particularmente o A. fumigatus e o A. niger, e caracterizada por lesões na pele, no ouvido externo, seios paranasais, órbita, vagina, pulmões, brônquios e, às vezes, meninges e ossos. 
Tratamento médico se faz à base de iodeto de potássio e vacina autógena. 
Blastomicose Norte-Americana (doença de Gilchrist). Micose causada pelo Blastomyces dermatitidis, caracterizada por lesões na pele, nos pulmões, ou generalizadas. O Blastomyces não se transmite de homem a homem, mas de sua fonte natural, o solo, onde vive e se multiplica. Esta micose é comum nos E.U.A., mas raríssima na América do Sul. 
Tratamento: iodeto de potássio, vacinas e aplicações locais de vários medicamentos. 

Protozoários

Algas e sua importância para o meio ambiente


Algas marinhas são o pulmão do mundo,  produzem mais oxigênio pela fotossíntese do que precisam na respiração, e liberam o excesso para o ambiente. A Amazônia libera muito menos oxigênio para a atmosfera em termos mundiais, pois a maior parte do gás produzido é consumida na própria floresta.
No ciclo da vida do ambiente marinho, as algas marinhas têm uma função primordial. São chamados organismos produtores, produzem tecidos vivos a partir da fotossíntese. Fazem parte do primeiro nível da cadeia alimentar e sustentam todos os animais herbívoros. Estes sustentam os carnívoros e assim por diante. Portanto, as características mais importantes das algas são: consomem gás carbônico para fazer fotossíntese, produzem oxigênio para a respiração de toda a fauna, são utilizadas como alimento pelos animais herbívoros (peixes, caranguejos, moluscos, etc.), filtradores (acídias, esponjas, moluscos, crustáceos), e animais do plâncton (zooplâncton). É um grupo muito diverso, contribuindo significativamente para elevar a biodiversidade marinha.
Doenças causadas por protozoários:
- Giardíase: Causada pelo flagelado Giardia lamblia, que afeta na maioria das vezes o intestino delgado, provocando dores abdominais, cólica, flatulência, náuseas e diarréia. O modo de transmissão consiste na ingestão de água ou de alimentos contaminados com os cistos deste ciliado, boas condições sanitárias e medidas de higiene pessoal, além do tratamento dos doentes são as medidas profiláticas.
- Leishmaniose tegumentar americana (úlcera de bauru): Causada pelo Leishmania brasiliensis, um flagelado que causa lesões na pele. A picada de mosquitos portadores, como o mosquito-palha e birigui (gênero Lutzomyia) permite que o protozoário penetre na pele do indivíduo. O tratamento dos doentes e combate aos mosquitos são as medidas profiláticas.
- Leishmaniose visceral americana (ou calazar): O flagelado Leishmania chagasi é o responsável por esta doença, que causa lesões no baço, fígado, rins e intestinos quando insetos flebótomos portadores do protozoário picam a vítima e transmitem a doença. Tratamento dos doentes e saneamento básico, além da higiene pessoal, são as formas de prevenção.
- Toxoplasmose: O Toxoplasma gondii, um esporozoário, é o responsável por esta doença que é geralmente assintomática, mas pode causar cegueira. A ingestão de cistos do parasita, presente nas fezes dos hospedeiros naturais do toxoplasma, tal como gatos, e a ingestão de carne crua ou mal cozida contaminada pelo protozoário são as formas de transmissão. Assim, ingerir carne bem cozida, evitar contaminação ao lidar com animais que hospedam o parasita e medidas de higiene são formas de se evitar a toxoplasmose.
 Conclusão 
Conclui neste trabalho a real importância destes seres para o mundo, se não tivéssemos as algas marinhas provavelmente não teríamos mais oxigênio para sobreviver. Hoje o mundo é baseado em transformações continuas e a ajudas destes seres são necessárias para amenizar a transformação de nosso planeta, apesar dos protozoários trazerem grandes malefícios para o homem, como a doença de “chagas”, ele acaba trazendo grandes benefícios para o homem hoje, como as algas que podem ser usadas para a fabricação de muitos objetos de estudos alem de ajudar na agricultura, como adubo, “as algas são o pulmão do planeta”. Já os fungos são usados em grandes quantidades para a fabricação de remédios, produção de alguns queijos, fermentos de pão e etc... Mesmo assim trazendo alguns defeitos na bagagem, pois eles também são causadores de doenças, normalmente doenças provocadas por falta de higiene, o que muitos dizem ser desnecessária. 
Bibliografia

DOENCAS CAUSADAS POR FUNGOS, pesquisado no dia 16 de abril de 2011. ACESSO em http://www.inf.furb.br/sias/parasita/Textos/blastomicose.htm


DOENCAS CAUSADAS POR FUNGOS, pesquisado no dia 16 de abril de 2011. ACESSO em http://www.corposaun.com/micoses-doencas-causadas-fungos/4387/
Doenças causadas por protozoarios. Pesquisa realizada dia 16 de abril de 2011 acesso em http://www.alunosonline.com.br/biologia/doencas-causadas-por-protozoarios-2.html
Doenças causadas por protozoarios. Pesquisa realizada dia 16 de abril de 2011 acesso em http://www.mundovestibular.com.br/articles/815/1/DOENCAS-CAUSADAS-POR-PROTOZOARIOS/Paacutegina1.html

Algas e sua importância para o meio ambiente. Pesquisa realizada dia 16 de abril de 2011 acesso em http://piscinasnaturaispe.wordpress.com/2008/11/25/algas-e-sua-importancia-para-o-meio-ambiente/


Benefícios dos fungos para o mundo. Pesquisa realizada dia 16 de abril de 2011 acesso em http://educar.sc.usp.br/ciencias/seres_vivos/seresvivos5.html





                                 




































4 comentários:

  1. oi valeu sem a ajuda das pessoas que postam sobre os fungos não iria ter como estudar pra minha prova de recuperação

    ResponderExcluir
  2. Nossa Valew pelo site. Se não fosse esse site eu não ia consequir fazer o Trabalho de Ciências. Obrigadissìmo ;)Beijooos By: Larissa

    ResponderExcluir
  3. Muito Obrigadooo á voc que escreveu essa anotação sobre os fungos me ajudou mesmo' , um enorme beijoo'

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, espero te-lo ajudado!
Abraço, Roselaine Mezz